CIDRUS

Piracema

Segundo a tradição, o nome primitivo do povoado – Rio de Peixe – teria sua origem na existência de grande quantidade de peixes encontrada por garimpeiros que procuravam ouro nos rios da região.

Outros contam que num dos rios próximos à cidade teria sido descoberto um enorme surubim. Entre as várias histórias, o que se tem como certo é que o povoado Rio do Peixe existe desde 1855. Até 1938, pertencia a Entre Rios, passando, então, a pertencer a Passa Tempo.

Em 1953, é elevado à categoria de município com o nome de Piracema.

Formação administrativa

Distrito criado com a denominação de Rio do Peixe, pela Lei Provincial nº 714, de 18-05-1855, e Lei Estadual nº 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Entre Rios.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Rio do Peixe, figura no município de Entre Rios. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 148, de 17-12-1938, o município de Entre Rios tomou a denominação de João Ribeiro e o distrito de Rio do Peixe foi transferido do município de João Ribeiro (ex – Entre Rios) para o de Passa Tempo.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito de Rio do Peixe, figura no município de Passa Tempo. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.

Elevado à categoria de município com a denominação de Piracema, pela Lei nº 1039, de 12-12-1953, desmembrado de Passa Tempo.

Sede no atual distrito de Piracema (ex- Rio do Peixe). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1954.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Rio do Peixe para Piracema, alterado pela Lei nº 1039, de 12-12-1953.

Transferência distrital

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 148, de 17-12-1938, transfere o distrito de Rio do Peixe do município de João Ribeiro (ex- Entre Rios) para o de Passa Tempo.

O município de Piracema atento a legislação e as normas para comercialização dos produtos de origem animal, apoiou o projeto de implantação do Serviço de Inspeção Municipal, pelo Decreto Nº 020/2013, aprovado em 18 de junho de 2013.

Fonte: IBGE/ 2017

Bovino

Efetivo do rebanho: 18.438 cabeças

Vaca ordenhada: 5.340 cabeças

Quantidade produzida no ano: 19.515.000 litros

Equinos 

Efetivo do rebanho: 722 cabeças

Galináceos 

Efetivo do rebanho: 11.000 cabeças

Quantidade produzida no ano: 42.000 dúzias

Suínos 

Efetivo do rebanho: 9.028 cabeças

Patos, gansos, marrecos, perdizes e faisões

Efetivo do rebanho: 84 cabeças