CIDRUS

Carmo da Mata

Carmo da Mata foi no século XVII, a região por onde transitavam, obrigatoriamente, aqueles que se dirigiam a Goiás, pela antiga Picada de Goiás, que indicava o caminho do oeste aos bandeirantes. Por volta de 1753, Inácio Afonso Bragança por ali passou e de tal forma deduziu-lhe a região, que se decidiu nela instalar­-se. A terra era fértil, banhada pelo rio Boa Vista, com campinas imensas e matas colossais. O clima, a água abundante e sobretudo a ótima qualidade do solo, tornavam a região o sítio ideal para uma sesmaria.

O primeiro nome dado ao lugar foi Boa Vista, posteriormente trocado para Mata da Boa Vista, com o objetivo de diferenciar o lugar do Rio. Inácio Afonso Bragança para lá se transferiu, tendo de imediato requerido a concessão da sesmaria. Como demorasse o despacho de seu requerimento, sua esposa fez uma promessa a Nossa Senhora do Carmo, a qual foi cumprida quando, em 16 de julho de 1754, veio o despacho desejado. A antiga Boa Vista, contando com uma capelinha em honra à Virgem do Carmo, passaria a chamar-se Ermida da Mata da Senhora do Carmo, posteriormente abreviado para Mata do Carmo.

A origem do topônimo é uma homenagem à santa padroeira, Nossa Senhora do Carmo, e uma alusão às matas existentes no município.

Gentílico: carmense.

O município de Carmo da Mata atento a legislação e as normas para comercialização dos produtos de origem animal, apoiou o projeto de implantação do Serviço de Inspeção Municipal, pelo Lei Nº 1.482/2015, aprovado em 3 de dezembro de 2015.

 

Fonte: IBGE/2017

Bovino 

Efetivo do rebanho: 24.415 cabeças

Vaca ordenhada: 3.581 cabeças

Quantidade produzida no ano: 8.869.000 litros

Bubalinos 

Efetivo do rebanho: 345 cabeças

Equinos 

Efetivo do rebanho: 1.343 cabeças

Galináceo 

Efetivo do rebanho: 30.000 cabeças

Suínos 

Efetivo do rebanho: 488 cabeças

Ovinos

Efetivo do rebanho: 114 cabeças

Patos, gansos, marrecos, perdizes e faisões

Efetivo do rebanho: 114 cabeças